asf@web

Tecnologia, Informação e Expressão

As intenções verdadeiras da Microsoft

with 6 comments


Graças a uma entrevista recente de Bill Gates dada ao Cnet acho que obtive os elementos que ainda faltavam para formular minha teoria sobre as reais intenções da Microsoft em relação ao software livre.

Os objetivos da Microsoft, na minha modesta opinião, são os seguintes:

  1. Enfraquecer a relevância e influência ideológica do software livre (SL como movimento social) sobre os programadores e portanto sobre a forma como eles colaboram e licenciam o software produzido;
  2. A cisão do software livre, tal como existe hoje, em duas categorias distintas em um futuro próximo: o software grátis (que Gates compara com aquilo que a Microsoft oferece de ‘graça’ como o IE, ISS, etc) e o software open source comercial. Este segundo submetido as mesmas regras e amarras do software proprietário tradicional, com patentes de software e propriedade intelectual nos modelos convencionais. Aproveitando ainda a produtividade, eficiência e qualidade do código produzido de maneira colaborativa.

Simples assim! Ou seja, uma volta ao começo.

Essa estratégia começa lá pelos idos dos anos 1990 e vai sendo aperfeiçoada com o passar do tempo até os dias atuais.

Ela passa pela negação inicial da relevância do software livre, pelo FUD descarado da campanha “Get the Facts” e “evolui” para as iniciativas recentes de aproximação amistosa com a comunidade através de eventos, do laboratório de interoperabilidade, da colaboração em projetos, dentre outras, até o pacto recentemente firmado com a Novell.

Dito isso eu ainda me pergunto, qual será o próximo passo? Seriam esses objetivos factíveis?

E olha que eu não estou usando guarda-chuvas nem soltando foguetes.😉

Referência: Gates on Vista, Linux and more – Cnet

Written by @antoniofonseca

terça-feira, 21 novembro, 2006 às 12:11 am

Publicado em Opinião

6 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Fora as teorias conspiratórias…
    Ou será que a Microsoft está vendo que há mercados mais vastos a serem explorados além do software proprietário. Acho que tem espaço pra todos e todos tem o direito de concorrer no mercado. Temos que pensar que, o mercado é o consumidor e não a Microsoft ou uma meia dúzia de distribuições Linux…

    Luferat

    terça-feira, 21 novembro, 2006 at 7:09 pm

  2. GPLv3 neles?

    semente

    terça-feira, 21 novembro, 2006 at 9:50 pm

  3. Caro Luferat,
    Obrigado pela visita e pela sua contribuição para a discussão.
    Seria realmente fantástico se a MIcrosoft resolvesse abraçar o software livre e colaborar, ela certamente seria muito bem vinda!
    Desde que se submetesse as regras existentes, aos ditames da GPL por exemplo e não tentasse (como parece estar acontecendo) subvertê-la ou atacá-la em proveito próprio.
    Afinal de contas se eu te convido para visitar minha casa você me deve um mínimo de cortesia e respeito às regras da casa, não concorda?🙂
    Abraço,
    ASF

    ASF

    quarta-feira, 22 novembro, 2006 at 12:22 am

  4. Concordo com o ASF em parte.
    Programas pagos costumam ser bem melhores do que os freeware’s, pois pelo menos temos uma certa garantia de que este funcionará corretamente e sem nenhum tipo de colaboração ou enchimento de saco pedindo para pegar versão paga e blá, blá, blá…
    Ou seja, os melhores são os Sharewares, que podemos testar e depois pagar.

    Mas acho que a M$ costuma trazer softwares livres para os que tem Windows ou qualquer outro produto dela original.

    Ela tenta lucrar com o que acha que deve valer algo.

    É muito difícil encontrar um freeware BOM que não tenha mínima intenção de ganhar fundos.

    lucasmxbr

    quarta-feira, 22 novembro, 2006 at 3:48 pm

  5. Caro ‘lucasmxbr’,
    Obrigado pela visita e pela contribuição para a discussão.
    Infelizmente você está fazendo confusão entre software livre e freeware, que são coisas distintas. Freeware é o software que é distribuído de graça mas que não necessariamente é software livre.
    De forma bem simples software livre é distribuído com permissão para estudo, modificação e distribuição. Para ser software livre o software precisa respeitar 4 liberdades fundamentais:
    A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito (liberdade no. 0);
    A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades (liberdade no. 1). Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade;
    A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao seu próximo (liberdade no. 2);
    A liberdade de aperfeiçoar o programa, e liberar os seus aperfeiçoamentos, de modo que toda a comunidade se beneficie (liberdade no. 3). Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade.
    Softwares livres utilizam licenças livres, como a GNU GPL.
    A licença GPL garante:
    – O direito de obtenção do código fonte sem nenhum custo adicional;
    – Que qualquer software “derivado” de GPL manterá a licença original (GPL);
    – A redistribuição do software;
    – Não haver restrição à venda do software (somente não é permitido adicionar custo algum a distribuição do código fonte);
    A licença GPL contêm um conceito adicional, conhecido como Copyleft, que se baseia na propagação dos direitos. Um software livre sem copyleft pode ser tornado não-livre por um usuário, caso assim deseje. Já um software livre protegido por uma licença que ofereça copyleft, se distribuído, deverá ser sob a mesma licença, ou seja, repassando os direitos.
    Para saber mais visite:
    Fundação Software Livre América Latina
    http://www.fsfla.org/
    Abraço,
    ASF

    ASF

    quarta-feira, 22 novembro, 2006 at 5:27 pm

  6. BOm dia, amigo ASf, gostaria de expor minha opinião no seu forum, disendo inicialmente, que para se discutir sobre Linux tem que se conhecer Linux, então, as discussões acima foram baseadas noconceito da nossa ciência mais futil a famosa achologia. O linux tem avançado por ser um sofware com codigo fonte aberto, varias cabeças pensantes pelo mundo investem tempo e dedicação para que isso aconteça, então comentários deste tipos se resumem a quem não tem menor conhecimento da maravilha do mundo do software livre, estou com vc no ato afinal sabemos o que vai acontecer se a microsoft conseguir manipular o linux, uma pergunta aos questionadores acima, vcs tem o codigo fonte do ruwindows ai pra me emprestar?????????

    Alive_23

    terça-feira, 28 novembro, 2006 at 9:31 am


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: